terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Bailarino local ocupa vaga em grupo de Diadema

O bailarino Vinicius Francês, de Rio Preto, vai integrar, a partir de janeiro de 2012, o elenco da Companhia de Danças de Diadema. Francês, que tem 24 anos, passou por um processo seletivo de três fases. As etapas incluiam análise de currículo, audição com cerca de 40 bailarinos e o comando de aulas de dança em um centro cultural.

O jovem se dedica à dança há quatro anos. Apesar do curto tempo de carreira, o trabalho de Francês já tem forte expressão em âmbito local por meio da Com-tato Cia. de Dança. A estreia do grupo ocorreu em abril de 2010, na sétima edição do Fórum de Dança, em Rio Preto. O espetáculo na época era “Com-tato - Sobre fragmentos de realidade”.

Em março deste ano, a companhia fez apresentações na Argentina. Em julho, foi a vez de participar da grade do Festival Internacional de Teatro (FIT). Para o bailarino, integrar um outro grupo de dança é uma importante oportunidade de crescimento profissional. “Vou conhecer outros artistas, ser dirigido. É o meu primeiro emprego com contrato, com salário, eu vou morar na Capital. É muito mais do que uma simples experiência.”

Ele fala ainda da possibilidade de dançar para um público mais amplo. “Talvez eu consiga isso, no futuro, com a minha própria companhia. Mas agora quero me formar profissionalmente. A Companhia de Danças de Diadema está entre as principais na dança contemporânea brasileira. É uma realização artística e profissional.”

Antes de integrar a companhia em Diadema, Francês terminou o curso de ciência da computação, na Unesp/Ibilce, e agora finaliza o próximo espetáculo da Com-tato - “Etiqueta Pa Pa Pa”, contemplado pelo do Programa Municipal “Nelson Seixas” de Fomento à Produção Cultural 2011. “O espetáculo deve estrear em abril de 2012”, diz Francês, que deseja dar sequência aos trabalhos da companhia que criou em Rio Preto. Além dele, a Com-tato tem elenco formado por Bruno Cavalcanti e Carol Campos.

Trajetória

Vinicius Francês iniciou a aproximação com a dança de forma despretensiosa com aulas de balé clássico. Mais tarde percebeu na modalidade a possibilidade de obter condicionamento físico. Em 2009, foi convidado a integrar o elenco de “Vitrine”, espetáculo dirigido por Alex D’arc, que estreou em agosto daquele ano. Mas Francês decidiu investir na dança contemporânea. “Não tenho linas corporais, alongamento para o balé clássico. Gosto mesmo é de pesquisar, investigar movimentos novos.”

Projetos

A Companhia de Danças de Diadema terminou anteontem uma temporada de apresentações de “Paranoia”, coreografia de Ana Bottosso, em um projeto de ocupação no Complexo Cultural Funarte, em São Paulo. Agora, o grupo, formado por 11 bailarinos, está de férias. O retorno das atividades, segundo Ana Bottosso, diretora da companhia, será em 16 de janeiro. No mesmo mês, o grupo deve apresentar na Capital “Sala de Espera”, de Luis Arrieta. Em março retoma “Paranoia” e “La Vie en Rose???”, de Denise Namura e Michael Bugdahn.

Fonte: Vivian Lima - Portal Diarioweb – www.diarioweb.com.br

1 comentários:

Anônimo disse...

Esse é meu amigo Francês... Tenho muito orgulho de você. Poucos sabem de sua história na dança e o tanto que batalhou pra chegar onde chegou hoje.
Só tenho que lhe dar os meus parabéns.

Fico muito feliz por você!!

Sucesso!!

Mineiro

13 de janeiro de 2012 22:42
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...